O inglês invadiu o RH? Aprenda estes 10 termos comuns na profissão

O inglês invadiu o RH? Aprenda estes 10 termos comuns na profissão

Se o inglês já havia dominado áreas como TI e Marketing, há algum tempo ele vem invadindo o RH (Recursos Humanos). Em abril, participei do Fórum RH 2019 da Live University – foram dez horas de palestras e painéis, muito aprendizado sobre temas relacionados a recursos humanos e… muito inglês! Listei aqui todos os termos que ouvi, para que você faça uma boa revisão ou aprenda alguns termos que vêm sendo usados por heads de RH.  Vão muito além de turnover e feedback, prepare-se!

EVP

Employer value proposition Lembra da proposta de valor, ou o que a empresa promete que vai entregar ao cliente? Mesmo conceito, só que aplicado ao funcionário:  a empresa deve cumprir a promessa de valor que fez ao colaborador.

Employer branding

Marca empregadora – uma espécie de casamento do marketing com o RH. Employer quer dizer aquele que emprega, empregador.  É quando o RH quer que a empresa seja percebida como uma excelente empresa para se trabalhar, e cria estratégias para atrair e cuidar de seus talentos. O employer branding pode ajudar a resolver o alto turnover, por exemplo.

Employee experience

Para se construir o employer branding, o RH tem de estar focado em toda a employee experience –  ou jornada do colaborador (employee = colaborador, funcionário).   Lembra do UX (user experience) em sistemas ?  Agora o RH avalia a experiência do funcionário – do recrutamento à saída.

Fit

Segundo o Cambridge Dictionary, o substantivo fit  quer dizer: “the right size or shape for someone or something”. Assim, faz sentido a frase:  Muitos funcionários vão embora voluntariamente ou involuntariamente em seis meses, porque não tiveram fit cultural. Sem fit cultural, não performa bem.

Shift

Segundo o Cambridge Dictionary, o substantivo shift  quer dizer: “a change in position or direction:   Agora fica fácil entender, quando a palestrante diz:  “FIz três shifts de carreira em seis anos.”

Data driven

Assim como em qualquer área, o profissional de RH tem acesso a dados coletados em diversos sistemas. Alguns sistemas também fazem uma análise de risco de cada decisão. Tudo para ajudar no processo.  Uma decisão, um sistema ou uma pessoa que toma decisões com base em dados, é data driven*.   (pronúncia:  driven – leia o “i” mesmo, como em shift, fit, e não “ai” como em drive, life)

Gamification

Técnica de se usar elementos de jogos em ambientes diversos, como em um curso/treinamento no qual  o aluno/treinando conquista prêmios virtuais a cada fase que termina.

PoC

Proof of Concept, ou prova de conceito.  Como o espírito das startups está sendo introduzido em qualquer organização, fazer um PoC vai ser algo cada vez mais banal. Um teste de um modelo, uma implementação incompleta só para obter os primeiros feedbacks, um sistema que já prova que o novo conceito funciona – é o PoC.  Estude também termos como prototipar e MVP (minimum viable product).

Clusters

O substantivo cluster significa “aglomeração” . Começou a ser usado em TI, depois foi pro Marketing e vem sendo usado pela área de RH.  Ouvi algo como: Em um LMS (learning management systems ou AVA – ambiente virtual de aprendizagem), você pode estruturar trilhas que são percorridas de forma paralela entre os diversos clusters (clusters de supervisores, clusters de gerentes, clusters de diretores).

People Analytics

Reunindo estatística, tecnologia e expertise em pessoas, o people analytics utiliza grande volume de dados, com o objetivo de aprimorar a gestão e a tomada de decisões em uma organização.   FONTE: EXAME LiveUniversity – Fórum RH 2019 dictionary.cambridge.org

Deixe uma resposta